Saúde sob uma nova abordagem: o uso da medicina de precisão.




Até agora, a maioria dos tratamentos médicos foram projetados para o "paciente médio", como resultado desta abordagem "One-Size-Fits-All", os tratamentos podem ser muito bem-sucedidos para alguns pacientes, mas não para outros. A medicina de precisão, por outro lado, é uma abordagem inovadora que leva em conta as diferenças individuais nos genes, ambientes e estilos de vida das pessoas.

Os exames preditivos e a medicina de precisão ficaram famosos em 2013, quando a atriz Angelina Joli, aos 37 anos fez uma mastectomia dupla preventiva, motivada pelos testes genéticos para câncer de mama e ovários (BRCA1 e BRCA2), que apontavam 87% de chances de desenvolver a doença nas mamas.

Em janeiro de 2015, o Presidente Estadunidense, Barack Obama, anunciou uma proposta sobre a pesquisa de medicina de precisão no seu discurso do “Estado da União”, visando a cura do câncer, diabetes e outras doenças. A Casa Branca declarou implementar várias atividades, incluindo uma pesquisa em saúde com 1 milhão participantes para promover a proposta do presidente Obama sobre medicina de precisão.

Segundo estudos anunciados pelo próprio presidente, para cada Dólar investido no mapeamento genético e testes preditivos, retornam US$ 140,00 em economia. Não é a toa que este mercado cresce, e cresce muito. Estimasse que os testes genéticos possuam um potencial comercial de US$ 10,6 bilhões, e apenas os testes genéticos de saliva, um mercado superior à US$ 100 milhões. Mas esses números são ínfimos e incomparáveis ao retorno em saúde física, mental, convício familiar e vidas salvas. 

No Brasil, a ANS introduziu há poucos anos em seu ROL de procedimentos testes genéticos para diversas doenças, que podem fazer parte dos procedimentos autorizados pelos planos de saúde. O Hospital Albert Einstein já possui uma divisão, a Genomika, que é especializada em testes genéticos e medicina de precisão.

A medicina de precisão é uma nova abordagem nos cuidados ao paciente, pois ela permite ao médico selecionar o tratamento que melhor se adapte à pessoa de acordo com composição genética de cada um.

Hoje, quando você é diagnosticado com câncer, geralmente recebe o mesmo tratamento que outros que têm o mesmo tipo e estágio da doença. Mesmo assim, pessoas diferentes podem responder de forma diferente, e até recentemente os médicos não sabiam o porquê, dessa forma os tratamentos eram por tentativa e erro, até o acerto de medicamentos e dosagens.

A medicina de precisão veio para corrigir essas distorções, pois visa personalizar os cuidados de saúde, com decisões e tratamentos adaptados a cada indivíduo em todos os sentidos possíveis. Assim como a convergência da humanidade, a ética, a economia, a sociologia e outros elementos do conhecimento, a medicina de precisão vem para melhorar a vida das pessoas, minimizando as despesas médicas, os efeitos colaterais, visando atingir um efeito terapêutico ideal e, principalmente, trazer qualidade de vida e conforto para pacientes e familiares.


Comentários

José Antonio disse…
Muito bom artigo. A medicina avança com novas técnicas diagnósticas e com a valorização das descobertas genéticas já podemos fazer uma medicina preventiva com menor custo para pacientes e governos.
Anônimo disse…
Dê a César o que é de César.