Meu querido ditador


Estamos vivendo tempos sombrios em nosso país. Nossa liberdade vem sendo usurpada pouco a pouco, e pior, com o consentimento de boa parte da população, que assiste passiva a estes abusos. Para piorar, os atos antidemocráticos e tirânicos chegaram à nossa cidade.

O prefeito Vilson Roberto, em um arroubo ditatorial passou por cima de uma decisão majoritária e democrática da Câmara de Vereadores e, por decreto, impôs multa à população e empresários que descumprirem às normas sanitárias que ele defende. Não entrarei no mérito sobre se as normas são certas ou não, se tem base científica ou não, mas no ato tirânico e ditatorial de impor à população.

O vereador comunista, apoiado por vereadores de esquerda, apresentaram um Projeto de Lei na Câmara de Vereadores para regulamentar a fiscalização e impor multas aos cruz-altenses que descumprissem as normas da prefeitura. Até ai tudo bem, é direito deles apresentarem tal proposição. Acontece que o plenário, por maioria dos votos rejeitou essa cobrança, entendeu que pelo momento econômico e social, tais multas eras descabidas.

Somente no mês de abril 450 pessoas solicitaram seguro desemprego! Há uma massa de desempregados, empresas fechando portas, falência, fome e miséria em Cruz Alta que apenas pensar em aplicar multas à população já soa absurdo. No entanto, os vereadores ligados ao prefeito apresentaram o projeto, e o mesmo foi rejeitado.

Nosso prefeito, Vilson Roberto, agindo como moleque mimado, que se não bater o pênalti leva a bola embora e acaba com o jogo, desrespeitando a democracia, passando por cima da maioria, apenas para impor a sua vontade, no dia seguinte publicou um Decreto instituindo a cobrança de multas.

Não pode haver nada mais  antidemocrático, ditatorial e tirânico que esse ato do prefeito. Ignorou a vontade da maioria, desconheceu os problemas sociais e econômicos da cidade para fazer valer a sua visão e a sua estratégia política! Só não vê quem não quer, os atos da prefeitura nada tem haver com saúde e vidas, mas com votos e eleição.

Quanto mais tempo a cidade estiver fechada, com as pessoas amedrontadas e em casa, preocupadas somente com o Covid, melhor para o prefeito. Enquanto olhamos apenas para o bode na sala, reclamando do seu fedor, esquecemos dos buracos, das paredes caindo, das vidraças quebradas, da geladeira vazia e outros problemas. Afinal, ficar em casa, quieto, deprimido, passando fome e com medo, é a melhor estratégia petista para salvar vidas.  

Comentários