Sementes de ódio ou de esperança, qual você está plantando?

Esses dias escutei a fábula do agricultor. Conta a história, que um grande produtor de milho ganhava todos os concursos de produtividade, pois ele possuía as maiores e melhores espigas do mundo. Ao ser indagado por um jornalista qual era o segredo dele, o agricultor respondeu: “eu compartilho as minhas melhores sementes com os meus vizinhos”.

Curioso,  o repórter retrucou, inquirindo qual era a lógica dele compartilhar suas melhores sementes com os vizinhos, que eram seus rivais e concorrentes. Novamente, o agricultor respondeu: “o ar poliniza o milho, consequentemente, se meus vizinhos tiverem sementes ruins, elas polinizaram a minha lavoura. Dessa forma, compartilho as melhores sementes para que elas voltem para a minha terra. O resto, é fruto do meu trabalho”.

Achei essa fábula muito boa para o momento em que vivemos, pois ela fala de práticas completamente inversas ao que assistimos no dia a dia. Na história, o agricultor só compartilha o que ele tem de melhor, e o que o faz ser diferenciado é apenas o seu trabalho e dedicação. Aqui em Cruz Alta, e também no Brasil, as pessoas estão compartilhando o que há de pior, semeando discórdias brigas e fakenews. 

Semana passada publiquei nas minhas redes sociais que o Ministro Onyx Lorenzoni havia intercedido para liberar uma emenda do Deputado Perondi para o Hospital São Vicente. Comentei que foi um trabalho realizado em conjunto, por dois partidos e por duas lideranças distintas, mas que atuaram juntas para o melhor da nossa comunidade. Para minha surpresa, parte dos comentários foram negativos!

Algumas pessoas usaram do espaço para atacar os partidos, para atacar o trabalho e a honra das pessoas envolvidas. Ao invés de compartilharem as suas melhores sementes, atiraram apenas aquelas sementes doentes, tomadas pela praga. Que espécie de sociedade é essa? No qual o ódio, a raiva, a discórdia e interesses privados se sobressaem ao bem coletivo?

Nossa cidade está tomada de maus agricultores, que espalham sementes de ódio e mentira. O que será que eles esperam colher? Uma cidade melhor certamente não é, pois fica impossível colher frutos sadios de uma semeadura doente.

Enquanto Cruz Alta estiver dividida entre radicais de direita contra radicais de esquerda, os bons agricultores, que querem semear esperança, trabalho e desenvolvimento para o nosso município, ficarão impedidos de trabalhar, de expandir à toda cidade as boas sementes que vêm produzindo ao longo dos anos.

Há em nossa cidade inúmeras pessoas preparadas, abnegadas, dispostas a se doarem e trabalharem pela retomada social e econômica do nosso município. Porém, sozinhas não conseguirão produzir boas ações que sejam suficientes para a mudança, é preciso abandonar os discursos, os rótulos, o individualismo e o radicalismo para unir as boas sementes que gerarão frutos para as futuras gerações.  

Comentários